Om

Que possamos manter Sagrado o Yoga
Que possamos desenvolver nossos espíritos
Que muitos conheçam e pratiquem o Yoga
Que possamos mudar o mundo
Através de boas ações
De um grandioso coração
E da Alma Divina que habita em tudo!

Espero que o conteúdo deste espaço possa lhe inspirar.

Namaskar!

Textos Publicados

Textos Publicados

sábado, 17 de outubro de 2009

Shavásana

Quarta-feira, 14 de outubro de 2009.

Shavásana

Certamente um dos momentos mais importantes da nossa prática é o relaxamento, shavásana (postura do morto). Não consigo imaginar uma aula de yoga sem relaxamento. O relaxamento não é o final da prática mas o ápice dela.

Uma das formas de avaliarmos o nosso crescimento em prática é durante a meditação e durante o relaxamento. Se alcançamos um estado de relaxamento profundo, e após ele saímos revigorados e leves, podemos dizer que fizemos uma boa prática.

Nosso sistema nervoso possui duas ramificações. Uma trabalha na ação, quando estamos ativos. A outra trabalha quando estamos em repouso. Quando em repouso o corpo está se reestruturando, se organizando para trabalhar novamente. Na vida, o equilíbrio entre ação e repouso é de extrema importância. Quando não damos ao nosso corpo e mente o descanso necessário, equivalente à quantidade de trabalho, ou de estímulo de stress, ele começa a entrar num processo de desgaste acelerado. Este estado mantido por muito tempo pode trazer inúmeros transtornos físicos e mentais.

O estado de relaxamento alcançado depois de uma prática de yoga, o estado de tranqüilidade alcançado num estado de meditação profunda, nos levam a um estado de repouso de altíssima qualidade. Desta forma conseguimos manter equilibrada a balança entre trabalho (stress) e repouso (relaxamento).

O yoga, para os habitantes de grandes centros urbanos, é uma questão de sobrevivência! Yoga é qualidade de vida. Yoga é a manutenção da nossa juventude, da nossa força vital. Por isso, nossa prática deve sempre ocupar um lugar de importância na nossa rotina.

Namaskar!

Mahavir Thury

Altar

Quarta-feira, 7 de outubro de 2009.

Altar

Uma vez perguntei antes do início de uma aula: “Onde está Deus numa sala com um altar?” Uma yoguine muito esperta percebendo a armadilha da pergunta respondeu: “Em todos os lugares!”

Realmente, ela está certa. O yogue deve ter constante ideação de que tudo é manifestação da Consciência Suprema, de Brahma. Tudo está dentro Dele.

Então qual é a importância do altar. O altar é a lembrança do divino, do sagrado, numa sala. É a manifestação do nosso respeito e atenção pela Força que dá luz e vida a todas as coisas. O altar representa também os preceptores, todos os mestres que foram e são veículos desta Força.

Quando oriento meus alunos na construção de uma prática diária de meditação, procuro estimular que se crie em casa algum lugar aconchegante e atraente onde praticar e ali criar um altar. Aquele lugar com o tempo vai lhe chamar para a prática. Mesmo quando você não meditar ele irá lembrar você deste momento tão importante.

O altar não precisa ser sofisticado. Pode ser bem simples. Coloque nele algum símbolo que lhe represente o Sagrado, uma almofada confortável para a sua meditação e pronto.

Procure ficar neste local alguns instantes, em silêncio, com os olhos fechados, todos os dias. Mesmo que você não medite, faça uma prostração pela manhã e uma pela noite, no final do dia. Aquele é o seu lugar sagrado. O seu templo dentro de casa. Ali você pode encontrar o seu centro e iniciar a grande jornada. Para dentro de si. Este é o paradoxo do yoga: quanto mais para dentro mais expandimos.

O caminho do yoga é o caminho da expansão!

Namaskar!

Mahavir Thury

Luta

Quinta-feira, 1 de outubro de 2009.

Luta

Por que às vezes sentimos nossas vidas vazias? Por que sentimos ansiedade e medo? Por que às vezes parece que não temos ninguém por perto para nos dar apoio? E nada faz sentido...

Dharma, Honra, Coragem, Sabedoria, Verdade, Compaixão, Força, Ideologia, Meta.

Sem estes princípios nossas vidas ficam vazias. E muitas vezes nos sentimos afundar num pântano de centenas de vibrações e idéias confusas e caóticas.

Respire fundo e resgate o que torna você um verdadeiro ser humano. Lute! Não aceite nenhuma dessas idéias rebuscadas que afastam você da sua verdade! Muitos caminhos são doces e fáceis de seguir no início, mas são amargos, tristes e tortuosos depois. O caminho da falsa liberdade é muito atraente. Quem vende este caminho em programas banais de televisão, em propagandas ou qualquer outro meio, certamente não vai estar presente quando você estiver na beira do abismo.

Por isso afie a espada da sua mente através da sua prática e do seu discernimento. E corte tudo que afasta você do caminho. Aqueça o seu coração com o calor da compaixão e torne-se imbatível. Sirva. Trabalhe incansavelmente. Organize e fortaleça a samgha de pessoas que irão mudar este mundo. Seja leal a ela e realize boas ações.

Fortaleça seu espírito através da prática regular de meditação. E traga o princípio de estar presente em tudo que faz. Tudo é prática!

E se em algum momento você ainda se sentir completamente sozinho nesta luta. Sinta a Força! Sinta a Força presente em cada respiração sua. Sinta a Força em tudo! Nada será em vão. A partir daí não existe chance de derrota!

Vitória!

A Força é Brahma! Tudo é Brahma!

Shanti Shanti Shanti

Namaskar!

Mahavir Thury

Japa Kriya

Quarta-feira, 23 de setembro de 2009.

Japa Kriya

Na construção de nossa prática diária de meditação é importante estar bem orientado. Não existe nada mais importante no yoga do que este momento. Todo o yoga se realiza aqui! Porém são poucos os corajosos e persistentes que conseguem trilhar este caminho. Em nossa meditação surgirão inúmeros obstáculos e o maior deles é própria agitação da mente. Se não existe um certo grau de tranqüilidade na mente a prática é impossível. Por isso é importante fazer uso de alguns recursos.

O veículo mais importante da meditação é o som. A ciência dos mantras é muito refinada e muito antiga também. Os mantras são sons sagrados com uma freqüência de onda sutil. Através da repetição, a nossa mente agitada começa a ficar cada vez mais calma e tranqüila. As freqüências da mente e do mantra vão encontrando paralelismo e assim a mente é beneficiada.

Quando a mente agitada, através da repetição do mantra, encontra um estado de tranqüilidade maior, experimenta uma sensação incomparável de paz e expansão. Esta sensação ao longo da prática fica cada vez mais intensa e é realmente muito especial, sagrada.

Uma das formas de preparar a mente para a meditação é através do Japa Kriya. Repetir o mantra inúmeras vezes. Para isso podemos usar um japamala. O japamala é um colar de 108 contas. Antes da meditação, ou em qualquer outro momento do dia, podemos entoar o mantra, a cada conta, até completar as 108 vezes. Após o japa kriya a mente estará em outro estado.

Lembre-se que não devemos criar expectativas na prática. Nossa perspectiva é de anos, décadas. O importante é praticar com regularidade, sempre com a orientação do seu professor. No meu caminho, só senti um estado de meditação mais consistente após 10 anos de prática. Este tempo pode variar de pessoa para pessoa.

Sempre penso que o que é alcançado através das práticas, do sádhana, o que é realizado em meditação profunda, é algo de grande valor. Algo que não pode lhe ser tomado. Este algo preenche nossas vidas, este algo nos acompanhará até a morte e depois.

Nityam...

Namaskar!

Mahavir Thury

Observar

Quarta-feira, 16 de setembro de 2009.

Observar

Uma das grandes qualidades de um praticante de qualquer arte é a habilidade de observar. Quando nos deparamos com mestres, ou qualquer outra pessoa com maior conhecimento, devemos estar atentos a todos os detalhes. A habilidade de observar é fundamental. Na verdade até se observarmos os maus exemplos, teremos neles uma fonte de informação. Informação daquilo que não deve ser feito.

Mas quais são as condições para que a observação ocorra.

A primeira é estar com a mente tranqüila. Ninguém observa com a mente agitada. A mente silenciosa abre as possibilidades para a entrada de informação. Já estado de agitação mental pode fazer com que mesmo algo muito importante para nós esteja na nossa frente e não nos damos conta disto.

Por isso, acalme sua mente. Respire profunda e suavemente e acalme sua mente.

Uma segunda condição é a idéia de que ainda existe muita coisa a ser observada. A idéia de que não temos ainda um grau completo de observação. Ainda temos muito que aprender e ainda não realizamos totalmente a nossa arte. Este princípio se resume na idéia:

“Só sei que nada sei.”

Nas salas de yoga vejo alunos cheios e alunos vazios. Os alunos cheios estão tão cheios de informação e tão cheios de si mesmos que não cabe mais nada, não entra mais nada. Estão mais preocupados em mostrar que sabem do que realmente alcançar algo. Nada pode ser feito neste caso.

Já os alunos vazios são como um rio que flui livremente. Este estado de humildade e cristalinidade na mente, os torna receptáculos de inteligência infinita. Estão sempre crescendo. Por isso, aqui, quem está cheio está vazio, quem está vazio está cheio.

Do Sutra do Coração:

“A forma é vazia
O vazio é a forma...”

Acalme a mente, silencie a mente e observe, observe, só observe...

Namaskar!

Mahavir Thury

Mestres

Quarta-feira, 9 de setembro de 2009.

Mestres

“Minhas palavras são fáceis de entender
E o caminho, fácil de seguir
Mas ninguém chega a compreendê-los
Nem trata de encetar o caminho
As palavras têm antiga origem
E vêm através do caminho
Não podendo entendê-las
Os homens não chegam a compreender-me
São poucos que seguem minhas palavras
Por isso, hoje estou além de todo louvor
Assim, o Sábio se cobre de tecido grosseiro
E oculta as virtudes para si
Porque conhece o seu valor, mas não as ostenta.”

Tao Te King de Lao Tsé

Saudações a todos os mestres! A samgha de Boddhisattvas, seres ilumidados, que traz luz às nossas vidas!

Vitória! Jay!

Namaskar!

Mahavir Thury

Lokah Samastha Sukhino Bhavantu

Lokah Samastha Sukhino Bhavantu
Que todos os seres em todos os lugares sejam felizes

O que é Yoga?

Yoga é uma prática milenar que envolve inúmeras disciplinas,
dentre elas a prática dos ásanas, as posturas de yoga. Os ásanas fazem parte do
Hatha Yoga que é a forma do yoga mais conhecida no Ocidente. Além do Hatha Yoga
encontramos outras práticas como a meditação, o kirtan (canto de mantras), o estudo da filosofia e dos textos sagrados,
as práticas de purificação, a conduta yogue...

A meditação é a alma do yoga. Tudo que existe no yoga é para
aperfeiçoar a prática meditativa. É através da meditação que os yogues realizam
o significado mais profundo do termo Yoga:

“Samyoga Yoga Itiyukto Jivatma Paramatmanah”

Yoga é o estado de união da alma unitária com a Alma
Suprema, com Deus.

Yoga Samgha

Samgha significa associação. Quando yogues se reúnem para praticar juntos temos uma Samgha. Hoje, mais do que nunca precisamos de uma Samgha para praticar. A força que é gerada por esta associação faz com que nossas práticas se tornem cada vez mais fortes e profundas. Umas das orientações de grandes mestres do yoga é a importância de satsamgha, boa companhia. A boa companhia torna nosso caminho mais fácil.

Orientações para a Prática do Yoga

• Traga sempre uma pequena toalha para a prática.
• Procure praticar com roupas mais justas. O ideal é praticar com o joelho de fora e camiseta sem manga.
• Respeite o espaço físico e psíquico do yogue ao seu lado.
• Praticar de barriga vazia
• Não beber água durante a prática.
• Evite tomar banho, beber ou comer logo após praticar. Deixe um intervalo de 20 a 30 minutos.
• Atenção durante a prática, siga as orientações do professor.
• Se surgir cansaço pare. Não seja agressivo com seu corpo.
• Durante o período menstrual pratique de forma mais suave. Nestes dias não deve se praticar os ásanas de inversão (Sarvangásana, shirshásana...) .
• Evite sair mais cedo. Caso seja necessário sair anteS do início do relaxamento do grupo. Ao sair avisar o professor.
• Estar sempre vazio.Tenha sempre uma postura humilde junto ao seu professor. Nunca traga à mente a idéia que já tem plena compreensão do que está sendo ensinado. Até mesmo informações que já foram ouvidas inúmeras vezes.
• Qualquer sinal de desconforto durante a prática informe ao seu professor.

Seguidores