Om

Que possamos manter Sagrado o Yoga
Que possamos desenvolver nossos espíritos
Que muitos conheçam e pratiquem o Yoga
Que possamos mudar o mundo
Através de boas ações
De um grandioso coração
E da Alma Divina que habita em tudo!

Espero que o conteúdo deste espaço possa lhe inspirar.

Namaskar!

Textos Publicados

Textos Publicados

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Santosha

Santosha


Minha profunda homenagem aos alunos dedicados que têm sede de yoga!


Semana passada uma aluna dedicada me perguntou em qual Yama e Niyama entraria o princípio da paciência. Minha resposta foi: Santosha. Santosha é o segundo Niyama e se refere ao estado de mente equilibrada, equânime. Santosha é um princípio de não se buscar os extremos. Existem coisas que nos deixam eufóricos, “alegres”, mas depois nos deixam num estado miserável. O sábio ao longo de sua existência procura não colocar como objetivo a busca por este tipo de felicidade.


O estado de santosha é também caracterizado pelo estado de presença. Estar presente no que faz. Aceitar e abraçar o momento presente, o eu observador, num estado de consciência, de não-mente. Este estado transcende as condições externas.


Paciência é um estado de aceitação da condição atual. Quando queremos que as coisas aconteçam mais rápido do que acontecem estamos resistindo a uma determinada situação, estamos no futuro, esperando algo. Este estado gera uma condição de agitação na mente que é um obstáculo no caminho. Meditar só é possível quando estamos presentes e até aceitamos, com paciência, o próprio estado inquieto da mente.


Gosto muito da idéia de que já temos tudo que precisamos. Basta aquietar e silenciar nossas mentes tagarelas e barulhentas. Levar a mente para dentro de si e realizar que está tudo em você. Você é Ele! Ele é a Bem-aventurança! Você é a Bem-aventurança! Ananda!


Respire fundo e medite...Respire fundo e silencie sua mente...


Medite, medite, medite...


Namaskar!


Mahavir

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Yama e Niyama Sádhana

Quarta-feira, 16 de junho de 2009.

Yama e Niyama Sádhana

Uma das práticas do yoga é o aperfeiçoar da conduta. Os princípios de conduta yogue estão nos Yamas e Niyamas. Sádhana é prática, esforço. Yama e Niyama Sádhana é a prática de aperfeiçoar a conduta.

Yamas
• Ahimsa – não violência em pensamento palavra e ação.
• Satya- ser verdadeiro e falar a verdade.
• Asteya – não roubar nem desejar o que é do próximo.
• Brahmacarya – memória de Deus em todos os momentos.
• Aparigraha – não acumular bens desnecessários

Niyamas
• Shauca- limpeza no corpo, mente e ambiente
• Santosha – estado de contentamento e equilíbrio
• Tapas – ser disciplinado e esforçado nas práticas. Serviço desinteressado.
• Svadhyaya- estudo e entendimento da filosofia do yoga
• Iishvara Pranidhana –movimentar-se na direção da Entidade Suprema

Eu considero os Yamas e Nyamas duas pérolas do yoga. Meu Guru dizia que sem Yama e Niyama yoga é impossível! À medida que meditamos nos princípios percebemos como eles podem ser refinados e aprimorados. Seguir estes princípios torna nossas mentes sutis e elevadas, preparadas para a grande jornada do yoga.

Pratique e realize!

Namaskar!

Mahavir

terça-feira, 16 de junho de 2009

Modéstia e Prosperidade

Quarta, 10 de junho de 2009.

Modéstia e Prosperidade

“O que está cheio será esvaziado. O que está vazio será preenchido. Se você quer que algo suba. Faça-o primeiro descer...”

Lao Tsé

Um dos princípios da prosperidade, seja no campo material, mental, emocional ou espiritual é a modéstia. No I Ching, um oráculo chinês, Modéstia, Chien, é um dos 64 hexagramas e só carrega princípios positivos. Meu Guru, Shrii Shrii Anandamurti, sempre falava da importância de nunca achar que compreende algo plenamente. Dizia que sempre deveríamos manter na mente a idéia: “eu não sei”.

O princípio de humildade sempre nos coloca num movimento constante para cima. Quando pensamos que já sabemos, já realizamos algo, uma energia estática é gerada e deixamos de crescer e expandir. As portas se fecham e deixamos de perceber novas possibilidades.

Socialmente, as pessoas que não prezam a modéstia atraem olhares e vibrações negativas desnecessariamente.

A história do vaga-lume e o sapo

O sapo estava na beira do lago à noite. O vaga-lume todo simpático e brilhante pousou na sua frente e falou alegremente: “Olá!” O sapo imediatamente com sua pata esmagou o vaga-lume. Em seguida o vaga-lume todo estraçalhado perguntou ao sapo: “Por que você fez isto?” O sapo respondeu: “Porque você brilha!”

Por isso, deixe para aparecer na hora certa, quando for preciso! Ser discreto para mim ainda é a melhor estratégia.

Namaskar!

Mahavir

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Meditação

Segunda, 1 de junho de 2009.

Meditação

Todo o yoga é consumado na prática meditativa. Todas as disciplinas do yoga existem para aprofundar nossa meditação. Com certeza os princípios da meditação devem estar presentes na prática dos ásanas, nos pranayamas e em qualquer momento da vida. Porém a meditação em si ocorre quando estamos imóveis e confortáveis nas posturas meditativas. Através do controle dos órgãos motores e sensoriais (pratyahara) e de um estado de concentração sem esforço (dharana) é possível mergulhar em níveis de meditação mais e mais profundos.

A tarefa de meditar pode ser muito difícil no início, mas não desista. Estabeleça uma prática regular com tempo de duração curto no início. Com o tempo, gradualmente, aumente o período de duração. Os melhores momentos para meditar são no nascer e no pôr do sol. Mas o melhor mesmo é meditar todos os dias no horário que for possível. Acordar, tomar um banho e meditar enquanto a mente ainda está fresca é muito bom. Ao chegar do trabalho, depois do banho também, é ótimo para liberar as tensões do dia: “lavar a mente, a placa mental!”

Procure receber orientações sobre meditação. Até lá medite na sua respiração simplesmente. Tornando-a suave e profunda sem esforço.

No início a prática lhe parecerá algo mental, com o tempo, quando experimentamos sensações mais intensas, percebemos que esta prática é espiritual. Meditar torna-se um alimento para o espírito. Acredito que boa parte das aflições psíquicas que a humanidade passa por hoje em dia vem de uma desconexão com nosso Ser Espiritual, a nossa consciência, a alma que dá luz e vida a todas as coisas.

Medite e abra a visão para uma nova dimensão!

“Ananda Brahma Itiahuh”

Brahma, Deus, é a Felicidade Infinita.

Ananda Sutram de Sua Divina Graça Shrii Shrii Anandamurti

Namaskar!

Mahavir

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Sofrer ao Resistir

24/5/2009.

Sofrer ao resistir

Shavásana, a postura do morto. Todo final de prática entramos em relaxamento. Aí está um dos momentos mais importantes da prática. Em shavásana absorvemos todos os benefícios dos ásanas. O relaxamento é quase uma arte por si só. A arte de relaxar.

Em shavásana pratica-se o não agir, a não-resistência o estado de não-mente. Enquanto nos ásanas, parte do corpo está ativa, em shavásana, todo o corpo e a mente estão em estado de repouso. Observar o corpo e a própria mente é fundamental. Identificar a resistência. “Meu ombro está se afastando do chão. Meu pensamento vai para fora da prática e meu ombro tenciona. Respiro e desfaço a tensão. Permaneço tranqüilo e presente”.

O exercício de não resistência em shavásana pode ser aplicado em todas as situações onde as coisas não estão ocorrendo como gostaríamos. O autor do livro “O Poder do Agora”, Eckhart Tolle, está certo quando diz que aumentamos nosso sofrimento por resistir. Ele diz que acreditamos que ao resistir a algo iremos mudar a nossa situação. E o que ocorre é o contrário. Ao resistir entramos num estado de inquietação que nos torna consideravelmente menos aptos a realizar qualquer mudança.

Relaxar, não-resistir, não-mente, não é fácil. Mas a cada prática estamos cada vez mais próximos deste estado. E a cada prática conseguimos levar cada vez mais o yoga para o nosso dia-a-dia.

Namaskar!

Mahavir

Lokah Samastha Sukhino Bhavantu

Lokah Samastha Sukhino Bhavantu
Que todos os seres em todos os lugares sejam felizes

O que é Yoga?

Yoga é uma prática milenar que envolve inúmeras disciplinas,
dentre elas a prática dos ásanas, as posturas de yoga. Os ásanas fazem parte do
Hatha Yoga que é a forma do yoga mais conhecida no Ocidente. Além do Hatha Yoga
encontramos outras práticas como a meditação, o kirtan (canto de mantras), o estudo da filosofia e dos textos sagrados,
as práticas de purificação, a conduta yogue...

A meditação é a alma do yoga. Tudo que existe no yoga é para
aperfeiçoar a prática meditativa. É através da meditação que os yogues realizam
o significado mais profundo do termo Yoga:

“Samyoga Yoga Itiyukto Jivatma Paramatmanah”

Yoga é o estado de união da alma unitária com a Alma
Suprema, com Deus.

Yoga Samgha

Samgha significa associação. Quando yogues se reúnem para praticar juntos temos uma Samgha. Hoje, mais do que nunca precisamos de uma Samgha para praticar. A força que é gerada por esta associação faz com que nossas práticas se tornem cada vez mais fortes e profundas. Umas das orientações de grandes mestres do yoga é a importância de satsamgha, boa companhia. A boa companhia torna nosso caminho mais fácil.

Orientações para a Prática do Yoga

• Traga sempre uma pequena toalha para a prática.
• Procure praticar com roupas mais justas. O ideal é praticar com o joelho de fora e camiseta sem manga.
• Respeite o espaço físico e psíquico do yogue ao seu lado.
• Praticar de barriga vazia
• Não beber água durante a prática.
• Evite tomar banho, beber ou comer logo após praticar. Deixe um intervalo de 20 a 30 minutos.
• Atenção durante a prática, siga as orientações do professor.
• Se surgir cansaço pare. Não seja agressivo com seu corpo.
• Durante o período menstrual pratique de forma mais suave. Nestes dias não deve se praticar os ásanas de inversão (Sarvangásana, shirshásana...) .
• Evite sair mais cedo. Caso seja necessário sair anteS do início do relaxamento do grupo. Ao sair avisar o professor.
• Estar sempre vazio.Tenha sempre uma postura humilde junto ao seu professor. Nunca traga à mente a idéia que já tem plena compreensão do que está sendo ensinado. Até mesmo informações que já foram ouvidas inúmeras vezes.
• Qualquer sinal de desconforto durante a prática informe ao seu professor.

Seguidores